Airlines, Aviação Comercial, Destaque

Lufthansa tem de cancelar mais de 800 voos por causa da greve do sindicato Ver.di

O sindicato alemão Ver.di apelou a uma greve nos aeroportos de Frankfurt, Munique, Colónia e Bremen para 3ª feira, 10 de abril de 2018. Os serviços de handling de terra, os serviços de apoio e parte dos serviços de bombeiros do aeroporto estarão em greve amanhã entre as 5h00h e as 18h00. Por causa da greve de amanhã do sindicato Ver.di, a Lufthansa terá de cancelar aproximadamente 800 dos 1 600 voos programados, incluindo 58 voos de longo curso. Os cancelamentos irão afetar aproximadamente 90 000 passageiros. As operações de voos irão ser retomadas com normalidade na 4ª feira, 11 de abril de 2018.

A Lufthansa publicou hoje um horário online alternativo. Os passageiros da Lufthansa deverão verificar o estado dos seus voos na página www.lufthansa.com antes de partirem para o aeroporto. Os passageiros que providenciaram os seus contactos à Lufthansa serão notificados das alterações por SMS ou correio eletrónico. Os passageiros podem inserir ou atualizar os seus dados de contacto a qualquer altura em www.lufthansa.com na secção “As minhas reservas”. Os passageiros podem também escolher ser informados automaticamente sobre possíveis alterações no estado dos seus voos via Facebook ou Twitter.

Os passageiros cujos voos não foram afetados pela greve deverão ir mais cedo para o aeroporto pois esperam-se mais tempos de espera. Independentemente se o seu voo foi cancelado, todos os passageiros do Grupo Lufthansa (à exceção dos voos operados pela SWISS) que tenham reservado um voo de / para ou via Frankfurt e Munique para amanhã, 10 de abril de 2018, podem alterar os seus voos gratuitamente para outro voo nos próximos sete dias.

Nas rotas domésticas dentro da Alemanha, os passageiros podem usar o comboio, independentemente se o seu voo ter sido ou não cancelado. Para tal, os passageiros terão de converter o seu bilhete num bilhete de comboio da Deutsche Bahn na secção “As minhas reservas” em www.lufthansa.com. Não é necessário viajar para o aeroporto.

A Lufthansa não entende a ameaça do sindicato Verdi, apelando a uma greve massiva. “É completamente inaceitável que o sindicato envolva os passageiros neste conflito”, diz Bettina Volkens, membro do Conselho Executivo para Recursos Humanos e Assuntos Legais da Deutsche Lufthansa AG. “A Lufthansa nada tem a ver com este conflito laboral, mas infelizmente os nossos clientes e a nossa empresa estão a ser afetados “.

A natureza e a extensão de uma greve de um dia inteiro não são apropriadas nesta altura. As greves têm de ser o último recurso numa disputa de salários. “Os políticos e os legisladores têm de definir regrar claras para as greves”, exigiu Bettina Volkens. “Lamentamos que os planos de viagens de tantos dos nossos clientes venham a ser afetados por esta greve do sindicato Ver.di. Estamos a trabalhar para minimizar ao máximo o impacto desta greve”.