Aeroportos, Aviação Comercial

Aeroporto de Brasília é o terminal aéreo que mais movimenta passageiros internacionais fora do eixo Rio-São Paulo

A movimentação internacional do Aeroporto de Brasília vem mostrando uma recuperação pós pandemia. O terminal brasiliense fecha o ano de 2023 como o aeroporto fora do eixo Rio-São Paulo que mais movimenta passageiros para o exterior. É o terceiro aeroporto brasileiro com o maior fluxo de passageiros de voos internacionais, atrás apenas de Guarulhos e Galeão.

O fluxo de usuários entre embarques e desembarques para o exterior pelo terminal brasiliense foi de 560 mil pessoas, um número de passageiros 36% maior que 2022. Ao longo do ano passado, o tráfego aéreo internacional foi de 3.528 pousos e decolagens.

Mesmo com essa recuperação, o Aeroporto de Brasília ainda está longe da movimentação internacional de antes da pandemia, em 2019, quando o aeroporto tinha ligação com 10 cidades no exterior.

Em março de 2023 a LATAM retomou o voo direto da capital federal para Lima, no Peru. A empresa realizava este trajeto antes da pandemia e voltou a operar o destino com frequências diárias. A TAP e a Copa Airlines aumentaram a frequência dos seus voos diretos da capital federal em 2023.

Hoje, os passageiros podem voar direto da capital federal para seis destinos no exterior: Lisboa com TAP, Panamá pela Copa Airlines, Miami e Orlando com a GOL, Buenos Aires pela Aerolineas Argentinas e Lima operado pela LATAM. Em junho de 2024 a Sky Airline, companhia chilena de baixo custo (low cost), inaugurará sua operação no Distrito Federal operando o voo para Santiago, no Chile, com três voos semanais, nas quartas, sextas e domingos. No mesmo mês a LATAM também volta a operar a rota para Santiago com três frequências semanais.

O ano de 2024 já começa com uma boa movimentação internacional. Para janeiro e fevereiro o terminal brasiliense registrou a maior frequência de voos para Miami e Orlando, na Flórida, Estados Unidos. Foram realizados 202 pousos e decolagens para as cidades norte-americanas.  Esta foi a maior malha aérea internacional já operada pela GOL em Brasília que, além dos voos a mais para os Estados Unidos, conectou Brasília a Buenos Aires, na Argentina, entre 2 de janeiro e 14 de fevereiro 2024, com 4 voos semanais diretos.

“O Aeroporto de Brasília foi projetado para a melhor conectividade do passageiro. Todo o desenho do terminal auxilia a rápida ligação do usuário tanto para as salas domésticas quanto para a aérea internacional. Os passageiros que chegam de qualquer localidade do Brasil não precisam desembarcar para acessar a sala de embarque internacional, por exemplo. Direto do embarque doméstico o passageiro com a passagem para o destino no exterior, já acessa o canal de inspeção de segurança a partir da sala de voos nacionais e acessa a área internacional”, conta o gerente de Negócios Aéreos Daniel Dumaresq.

Essa agilidade nos processos de conexão, de embarque e desembarque, é essencial para garantir uma boa performance das empresas aéreas. Para o executivo, Brasília tem todas as qualidades para ser uma outra opção fora do eixo Rio-São Paulo. “Temos uma boa conectividade nacional, temos voos direto para todas as capitais brasileiras e diversas cidades do interior. Isso, além do desenho e da agilidade operacional, torna o Aeroporto de Brasília uma boa alternativa para embarcar em voos para o exterior”, explica.

Além do trabalho da concessionária, o auxílio do Governo do Distrito Federal vem sendo essencial para atração de novas oportunidades de voos internacionais para a capital do país. “O trabalho em conjunto fortalece a capital federal; quem ganha são os passageiros, com mais opções de voos e conectividade. Os incentivos e o apoio das secretarias de governo, como a de Turismo, e, claro, empresas aéreas e órgãos competentes, são fundamentais para termos mais oportunidades para o Distrito Federal”, pontua Dumaresq.