Aviação Comercial, Destaque

Com sucesso na malha de verão, Azul manterá rota Congonhas-Salvador em definitivo a partir de fevereiro

A rota Congonhas – Salvador, que entrou na malha especial da Azul durante a alta temporada de verão, foi um sucesso tão grande que, a partir de 12 de fevereiro, fará parte da malha regular da companhia.

 

Serão três voos por dia conectando a capital paulista com a capital baiana a bordo da aeronave A320neo, com capacidade para 174 Clientes, ampliando ainda mais a conectividade da malha doméstica da companhia. Quem chegar a Salvador terá a chance de conectar-se, por exemplo, com Recife e Vitória da Conquista e, quem pousar em Congonhas, poderá seguir até o Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

 

Salvador será o quarto destino atendido pela Azul a partir do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Somando-se as conexões para Recife, Santos Dumont e Confins, a companhia terá, em média, vinte voos diários decolando do terminal paulista. As passagens para os novos voos estão disponíveis em todos os canais oficiais da empresa a partir de hoje (21).

 

“A Azul sempre reforçou sua malha doméstica durante a alta temporada de verão, adicionando rotas para destinos muito procurados pelos brasileiros nessa época. No caso da ligação entre Congonhas e Salvador, a alta demanda resultou em tornar a rota regular a partir de fevereiro. É mais uma opção de rota que integra a nossa malha e reforça nosso grande diferencial, a conectividade”, explica Vitor Silva, gerente de planejamento de malha da Azul.

 

O novo padrão de limpeza e segurança da Azul

A Azul reforçou a limpeza de suas aeronaves a cada voo e à noite, seguindo os protocolos sugeridos pela IATA e Anvisa. A companhia também foi a primeira do país a tornar obrigatório ouso de máscaras por Tripulantes e Clientes, tanto a bordo quanto em solo. Em outra iniciativa pioneira, a Azul passou a medir a temperatura dos Tripulantes a cada início de turno, aumentando a confiança em solo e a bordo e preservando a vida e a segurança de todos.

 

A companhia tem orientado o check-in pelo aplicativo e, para aqueles que precisa despachar a bagagem, sugere o uso das bancadas digitais de autoatendimento, em que o próprio Cliente etiqueta sua bagagem sem contato com a tela dos tablets. Para o embarque, a Azul lançou o Tapete Azul, tecnologia pioneira no mundo, que é composto por um conjunto de projetores e monitores. Por meio de realidade aumentada, projetores no chão formam um tapete virtual colorido e móvel que convida a pessoa a se posicionar na fila de acordo com seu número de assento. A inovação vem proporcionando uma diminuição de cerca de 25% no tempo em que uma pessoa leva entre embarcar e sentar dentro do avião e, de quebra, contribui para o distanciamento social, já que os Clientes convocados para o embarque ficam a quatro metros de distância entre si.

 

A bordo da aeronave, lenços umedecidos estão à disposição para uso dos Clientes e dos Tripulantes da Azul e sachês de álcool em gel são distribuídos a todos os viajantes. A companhia também tem utilizado descontaminantes bactericidas que contam com um princípio ativo que elimina vírus e bactérias em 99,99% dos casos.

 

Além disso, a empresa também adotou o sistema de raio ultravioleta da Honeywell para a limpeza do interior de suas aeronaves. O UV Treatment System é capaz de auxiliar a limpeza do interior de uma aeronave em menos de 10 minutos. A tecnologia representa uma camada a mais de segurança que será gradualmente introduzida na frota da Azul, a primeira empresa aérea da América Latina a trazer essa inovação.

 

Somando-se a isso e à limpeza dupla nos assentos, mesinhas, bolsão, banheiros, encosto de cabeça, cinto de segurança, janela, paredes e compartimentos superiores, a Azul vem atendendo todas as normas de procedimento de limpeza e desinfecção sugeridas pelas autoridades sanitárias. O serviço de bordo passou a ser realizado ao final do voo, garantindo o uso da máscara durante toda a viagem, e o desembarque agora é realizado por fileiras, evitando as costumeiras aglomerações no corredor no momento de saída da aeronave.